Publicado em linguagens, open source, python

Python for Unix and Linux System Administration

Estou lendo o livro Python for Unix and Linux System Administration e estou gostando muito, por isso estou aqui escrevendo sobre ele.

Este livro da editora O’Reilly, escrito por Noah Gift e Jeremy M. Jones é uma coleção de problemas-solução em Python. Nele você encontra de quase tudo. Seu lançamento recente (Agosto de 2008) contempla as novidades do Python 2.5, apesar de já estamos com Python 2.6 pronto para instalarmos em nossas máquinas.

Ele está voltado para administradores de sistemas que precisam resolver problemas recorrentes e repetitivos e necessitam de uma ferramente ágil e completa. Python pareceu ser a escolha adequada, apesar dos autores confessarem que a escolha ter sido bem subjetiva.

Ao ler suas páginas fica claro que  o material contido nele serve para todos os programadores. É uma forma maravilhosa de conhecer bibliotecas e funções nunca antes utilizadas por nós, ou descobrirmos novas formas de fazer as coisas com as que já conhecíamos (eu descobri).

Logicamente, tem coisas que são quase exclusivamente para administradores de redes e nos deleitamos como tarefas complexas podem ser resolvidas em poucas linhas de código. Sinaliza também o fato de que a vida de um administrador de redes já é dura e não precisa ficar pior. Desenvolver suas próprias ferramentas em Python é algo prazeroso.

Há um maravilhoso capítulo chamado Package Management explanando coisas como Setuptools e os Python Eggs, os ovos de cobra, os conhecidos arquivos de distribuição. Só por este capítulo eu compraria o livro.

E tem mais. Sobre persistência de dados, temos o simples shelve, o ZODB, SQLite, Storm ORM e SQLAlchemy. É uma aula de atualidades do mundo Python.

Há coisas que já li a respeito mas não me aprofundei, como, por exemplo, Buildout, Twisted, Scapy, entre outros.

Vou continuar lendo. Leitura recomendada.

Anúncios

Um comentário em “Python for Unix and Linux System Administration

  1. Na administração de sistemas Unix-like, frequentemente é preciso automatizar processos complexos com o uso de scripts.

    O Shell script traz diversas vantagens, como extrema facilidade de construção, agregamento recursos existentes e total integração com o sistema.

    No entanto, também traz diversas desvantagens, sendo as mais óbvias o levantamento de diversos processos, quase um para cada tarefa, e seu desconfortável escopo de variáveis.

    Aqui entra Python como uma alternativa interessante: além de apresentar todas as facilidades de Shell script, ainda possui um escopo de variáveis mais intuitivo – pero no mucho – e tudo acontece encapsulado em um único processo – na maioria dos casos. Além disso, diversos recursos adicionais são obtidos no uso das bibliotecas padrão da linguagem, como socket e protocolos de rede, multithreading, interpretação de XML, criptografia e interface gráfica, entre outros.

    Por isso digo que Python é a melhor opção para o administrador de sistemas Unix-like.

    Vou correr atrás desse livro! =)

    []’s
    Cacilhas, La Batalema

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s