Missões e Encontros no Senhor dos Anéis Living Card Game

A parte que faz deste jogo um card game cooperativo são os baralhos de missão e encontros.

Esses dois baralhos possuem funções distintas mas estão ligados em seu objetivo: promover o desafio aos jogadores. O baralho de missão é composto por um número reduzido de cartas onde cada uma delas é um estágio da missão. As cartas desse baralho contam a estória da missão e, por meio de suas instruções, balizam o desafio. É possível, que mesmo com um mesmo baralho de encontros, possamos sentir uma experiência diferente por causa do baralho de missão.

O baralho de missão também restringe o baralho de encontros a um grupo de cartas de encontro.

A carta de missão do estágio 1 do cenário Caçada por Gollum (The Hunt for Gollum), por exemplo, nos informa que devemos formar o baralho de encontros com cartas de encontro (Infortúnios, Inimigos e Objetivos) que possuem um dos três ícones presentes no lado A das cartas. Os dois ícones em menor destaque (o rio e o olho em chamas) são cartas de encontro existentes na caixa básica (core set) do jogo. Elas foram aproveitadas dos cenários daquela caixa.

A carta infortúnio Old Wives’ Tiles é um exemplo de carta que estará presente no baralho de encontros do cenário Caçada por Gollum por causa do seu ícone (o Gollum).

No mesmo ciclo de Caçada por Gollum – Shadows of Mirkwood -, há o pacote de aventuras do cenário Conflito em Carrocha (Conflict at the Carrock) que também se aproveita das cartas de encontro da caixa básica, como vemos na carta de missão abaixo. E assim se repete em todos os pacotes de aventuras do ciclo.

missao_conflito_em_carrocha

 

 

 

 

 

Por causa dessas características (dos baralho de missão e encontro), fãs têm feito seus próprios cenários, precisando criar poucas cartas, a exemplo dos pacotes de aventura.

Os Living Card Games

Inicialmente, vou começar pela definição da Fantasy Flight Games sobre o que seria um living card game (LCG):

Um LCG oferece um método inovador de distribuição constante que rompe com o modelo tradicional dos jogos de cartas colecionáveis. Enquanto os LCGs ainda oferecem a mesma dinâmica, expandindo e constantemente evoluindo o “game play”, o que o faz ser tão divertido, ele acaba com o modelo de compra cega que tem afastado tantos jogadores. O resultado final é uma combinação inovadora que lhe dá o melhor de dois mundos!

O que seria na prática esse método inovador? Na prática, seria vender uma caixa básica inicial com capacidade suficiente de jogabilidade para que os iniciantes possam conhecer o potencial do jogo, depois lançam expansões mais baratas regularmente, trazendo novidades em forma de temas e possibilidades de novas estratégias. Ao comprar uma caixa de uma expansão, o jogador terá todas as cartas, não precisando recorrer ao mercado paralelo para adquirir nenhuma carta da expansão.

A vantagem para os jogadores é óbvia: um modelo comercial de entrega regular de novidades, onde só precisamos comprar uma caixa e teremos todas as cartas daquela expansão. Temos, do ponto de vista do jogador, uma previsão do quanto se vai gastar com aquele hobby. Vamos dá como exemplo o jogo A Guerra dos Tronos. No mercado há a caixa básica e mais quatro expansões, salve engano. Comprando todas essas caixas, no ritmo que for possível, o jogador terá todas as cartas do mercado, podendo montar o deck que quiser. Sobra mais dinheiro para ele participar de torneios. Com o prêmio em créditos na loja, ele poderá comprar um dos modelos de playmats disponíveis para esse jogo ou outra coisa qualquer.

Do ponto de vista das lojas, ela terá uma venda maciça de caixas durante o lançamento e, no intervalo dos lançamentos, vários torneios com um bom número de jogadores, pois eles estarão em condições iguais em termos de decks. Qualquer um poderá vencer, contanto que se dedique ao jogo. E se dedicando, certamente estará na loja para comprar a próxima expansão.

LIVING CARD GAMES ATUAIS

A Fantasy Flight Games é a criadora do termo a sua incentivadora principal. Os LCGs da FFG possuem também um apelo temático. Vejamos quais são eles:

A Game of Thrones: baseado na obra de George R.R. Martin, As Crônicas de Gelo e Fogo. Sucesso em livros, sucesso na TV.

Android: Netrunner: ambientado no cenário futurista cyberpunk de Android, utilizado em board games e livros da empresa. A versão atual é baseada no antigo card game de Richard Garfield, o Netrunner. Ao participar de torneios desse jogo, saiba que terá que jogar com dois decks. Aumenta a dificuldade, não?

Call of Cthulhu: quem gosta da obra de horror de H.P. Lovecraft vai se deliciar com este jogo. A arte é um destaque dele certamente.

Star Wars: esse nome já atrai uma legião de fãs. A pessoa compra nem que se seja só para colecionar.

The Lord of the Rings: o único jogo cooperativo entre os LCGs. Faz mais sucesso que o esperado para um jogo que não é competitivo.

Warhammer Invasion: centrado no universo de Warhammer Fantasy Battle, esse é mais um jogo para fãs.

No cenário nacional, a Galápagos Jogos possui dois jogos da FFG que são desta categoria: A Guerra dos Tronos e O Senhor dos Anéis. O primeiro já saiu há algum tempo e o segundo foi em dezembro de 2013.Desse só temos no mercado a caixa inicial.

Uma vez que tais produtos cheguem às lojas, como fazê-los chegar às mãos dos consumidores o mais rápido possível? Sem boosters, como ganhar dinheiro regularmente? Como eles impactam no mercado de card games tradicionais?

A minha opinião é que não muda muito em relação a jogos como Magic: The Gathering e Yu-gi-oh!, por exemplo. Eles possuem fãs cativos, que gostam do jogo, do modelo de caça às cartas e um modelo competitivo consolidado. Mas para aqueles que não são tão interessados no modelo tradicional mas gostam de card games, há um novo modelo no mercado agora. O importante, neste instante, é divulgar esse modelo para as caixas não acumularem nas prateleiras.

SUGESTÃO DE PASSOS PARA CRIAR UM MERCADO PARA UM NOVO CARD GAME

Exposição do Jogo

Não basta ele está na sua prateleira. Nem todo mundo interessado em card game ou no tema visita sua loja regularmente. As redes sociais estão aí para divulgar seu produto. O primeiro momento tem de ser de informar massivamente o jogo.

O jogo precisa de um dia só pra ele. Que tal marcar um evento de demonstração do jogo? Que tal explicar as regras numa tela projetada na parede ou algo do tipo? Após isso, sortear as pessoas inscritas no evento para ocuparem uma mesa e jogarem entre si com jogos emprestados da loja. Quem trouxe o jogo é convidado a ensinar a mais pessoas. Sorteios de brindes podem acontecer nesse dia.

Isso tudo vai sinalizar aos jogadores mais competitivos que a loja dará atenção ao jogo.

Torneios

No final do Dia de Demonstraçao, avise sobre um torneio que vai acontecer em uma data não muito próxima, nem muito distante. Convide os participantes a se preparem para ele. A loja estará de braços abertos para ensinar o jogo e preparar o iniciante para não fazer feio no torneio.

Esse é o clima de expectativa perfeito. Quem participará do torneio? Quem ganhará? O melhor é todos saberem que estarão em condições materiais iguais caso comprem as expansões disponíveis, contanto que a loja previna os jogadores de não porem em seus decks cartas de expansões que ainda não são vendidas na loja ou no mercado brasileiro, por exemplo. Essa limitação pode durar algum tempo, como um ano, por exemplo.

EXEMPLO DE MODELO DE EXPANSÕES DE UM LCG

Vou enumerar o nome de cada expansão de um de meus LCGs favoritos, o Android: Netrunner, lançado em 2012.

Core Set (Caixa inicial): 252 cartas

Expansões de Luxo:

  • Creation and Control (165 novas cartas) – julho de 2013

  • Honor and Profit (165 novas cartas) – previsto para 1º quarto de 2014

Ciclo Genesis:

  • What Lies Ahead (20 cartas novas) – dezembro de 2012

  • Trace Amount (20 cartas novas) – janeiro de 2013

  • Cyber Exodus (20 cartas novas) – fevereiro de 2013

  • A Study in Static (20 cartas novas) – março de 2013

  • Humanity’s Shadow (20 cartas novas) – maio de 2013

  • Future Proof (20 cartas novas) – junho de 2013

Ciclo Spin:

  • Opening Moves (20 novas cartas) – setembro de 2013

  • Second Thoughts (20 novas cartas) – novembro de 2013

  • Mala Tempora (20 novas cartas) – dezembro de 2013

  • True Colors (20 novas cartas) – janeiro de 2014

  • Fear and Loathing (20 novas cartas) – fevereiro de 2013

  • Double Time (20 novas cartas) – em breve

Ciclo Lunar:

  • Upstalk (20 novas cartas) – segundo quarto de 2014

Acredito que sendo no Brasil, tais lançamentos não aconteceriam mensalmente, como no caso dos data packs dos ciclos de Netrunner. Por exemplo, o core set do Senhor dos Anéis saiu em dezembro de 2013 e já estamos em fevereiro e o primeiro Adventure Pack não saiu ainda.

CONCLUSÃO

Outros LCGs poderão surgir no mercado nacional, mas enquanto isso não acontece, temos dois muito bacanas, um competitivo, outro cooperativo. Um com algumas expansões no mercado, outro sem nenhuma ainda. Resta saber se os jogadores, ao conhecerem o novo modelo, irão adotá-lo como uma alternativa ao tradicional. E adotando, como as lojas irão se aproveitar desse cenário novo.

Troopers em Focault

Relato do Tenente Rocco sobre a missão no planeta Focault:

O planeta Focault é um belo planetinha rochoso, repleto de rios e lagos subterrâneos habitado por vida inteligente. Chamamos eles de Cogumelos de Focault. Entretanto, nosso interesse neles é apenas estirpá-los do Universo. Dali, só queremos extrair minérios.

Então enviamos um grupo comandado pelo Sargento Hektor e apoiado pelo Cabo Skatafell para estabelecer um perímetro seguro para instalar uma base de pesquisa e posterior acampamento de mineradores. Não demorou muito para as bestas cabeça-de-cogumelo invadirem nosso perímetro recém estabelecido.

Suas armas eram primitivas: catapultas para lançar pedras e disparos telepáticos com deslocamento de ar. Tais contratempos foram rechaçados e tivemos poucas mortes do nosso lado.

Nossa surpresa foi o rapto da Soldado Carmen, sequestrada enquanto banhava-se num lago próximo. Tal afronta a membros da Brigada Expedicionária seria revidada com o fim da vida nesse planetinha. Um grupo pequeno foi enviado em missão de resgate.

Em um leito de rio seco, foram surpreendidos por uma enchente que ceifou a vida de alguns troopers. O grupo que emboscou nossos bravos soldados foram aniquilados. A busca continuava.

Uma nave de observação encontrou os alienígenas e informaram ao grupo sobrevivente a localização. Movimentando-se com mais celeridade, chegaram a tempo de ver os vermes entrando numa mostruosa caverna. Teríamos uma carnificina. Porém, nosso grupo foi surpreendido por gigantes vindos da caverna. Nossos homens foram formidáveis, não dando mole para tais aberrações. Com isso, invadimos a cidade deles.

Lá dentro, encontramos uma recepção calorosa. Respondemos à altura. Não sobrou cogumelo sobre cogumelo.

Encontraram a Soldado Carmem sobre o corpo do líder daquelas criaturas. Ela havia cravado uma lança no tronco dele. Disseram-me que seu sorriso era doentio e perverso. Como ela cresceu nessa missão em Focault!

Com o planeta completamente ocupado, nossos bravos combatentes retornaram ao espaço. Vários soldados foram condecorados, recebendo medalhas além de promoções. Não tiveram tempo de comemorar. A nave onde estava a Soldado Carmen teve uma rebelião de troopers. Descobrimos depois que Carmen passou uma doença zumbificante para a tripulação.

Enviamos um grupo para salvar os sobreviventes e eliminar a corja fraca que havia se tornado nossos soldados. Não foi uma tarefa tão fácil, mas, no fim, levamos a melhor.

Decken no PyPI

O Decken já pode ser testado no Linux. Ainda é versão bem inicial, com poucas funcionalidades e quase nada no menu funciona e o que tem lá é provisório.

Utilizem o easy_install para instalar a aplicação. No Ubuntu e Debian, vocês podem baixar esse instalador de pacotes Python assim:

sudo apt-get install python-setuptools

Depois disto bastam os seguintes comandos:

sudo easy_install DeckenMagicPlugin

sudo easy_install Decken

Ainda na linha de comando, para iniciar a aplicação execute: decken_script.

Ao iniciar a aplicação ele já começa atualização das coleções de cards de Magic. Caso você precise fechar a aplicação antes de concluir as atualizações, não tem problema. No menu Edit há o comando para baixar as atualizações. Ele continua de onde parou.

O caminho ainda é longo para ter uma aplicação de fato útil.

Decken no Launchpad

Havia prometido publicar o codigo-fonte do MaginBook (agora Decken) somente quando o mesmo atualizasse sua base de dados sozinho. Ele ainda não faz isso, mas publiquei o código com que venho trabalhando e há scripts para realizarem esta tarefa. De qualquer modo, o arquivo database.db já vem com o cadastro de uma grande quantidade de cards de Magic, então não haverá problemas com isso. Uma vez que ele esteja executando, baixará automaticamente as imagens.

Vocês podem ver e baixar o código aqui. Lá vocês encontraram o Decken propriamente dito e mais o plugin para Magic.

Quando baixarem o plugin, não esqueçam de executar python setup.py develop dentro da pasta.

Vocês terão mais chances de executar o programa no Linux, ok? Pelo fato de está trabalhando no Mac ainda não tenho noção de quais os nomes das dependências via apt-get (no Ubuntu) eu preciso baixar. Tenho de informar no setup.py do Decken quais dependências ele deve baixar via easy_install. Por enquanto, só informei uma dependência: BeautifulSoup.

Depois que eu tiver com um programa capaz de ser funcional e instalável via easy_install, informo por aqui.

MaginBook sem a infra do Lackey

Mudei de idéia em relação a usar a infraestrutura do LackeyCCG.

Optei por implementar um plugin que dado uma lista de siglas de sets de Magic, acesse um site e carregue as informações dos cards, gravando-as num banco de dado SQLite. Foi uma escolha mais divertida.

Outra vez a biblioteca BeautifulSoup foi incrível. Navegar na árvore de tags HTML e extrair os dados é moleza com ela.

Glade, Mac OS e MaginBook

Ora, as coisas não poderiam ficar melhores. Depois do trabalho de pesquisa que estava tendo para fazer certas coisas com Gtk, descobri que seria possível utilizar o Glade no Mac OS X. Baixei o binário e problema resolvido.

O trabalho é devagar, pois procuro o melhor jeito para desenvolver o MaginBook. Além de um tutorial ou outro sobre Gtk e Glade, consegui um exemplo inesperado, um organizador de decks e cards feito em Python com Gtk! O criador do Magiclibrary escreveu um comentário num post anterior sobre este assunto. Fui atrás dos códigos-fonte da aplicação para saber como ele resolveu certas coisas. O bacana é que ele também utilizou o Glade como ferramenta para montar a interface gráfica.

Só lembrando a vocês que só vou disponibilizar o código da aplicação quando ela estiver conseguindo baixar a descrição das cartas e suas imagens.

Além do mais, é importante salientar que vou usar a infra-estrutura de plugins do LackeyCCG, onde já se fornece praticamente tudo: informações sobre blocos, edições, descrição das cartas e imagens.